Direitos e obrigações de um Pedestre

Essa semana eu resolvi prestar a atenção nos pedestres. É muito interessante ver e entender o porquê do número alarmante de atropelamentos pelas cidades do país. O trânsito brasileiro mata quase cem pessoas por dia e fere quase mil, causando prejuízos de R$ 10 bilhões por ano. Em algumas cidades brasileiras, quase 60% das mortes no trânsito estão relacionadas a pedestres.

Andar nas vias públicas exige um conjunto de cuidados: não se pode atravessar em qualquer lugar. Deve-se procurar uma faixa de pedestre preferencialmente sinalizada e, mesmo na faixa, deve-se, com cuidado, olhar para o condutor, ver se ele realmente foi visto para, então, fazer uma travessia tranqüila.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) obriga os motoristas a pararem antes das faixas de segurança, em determinados casos. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam as regras não são exclusivas para os motoristas. Os pedestres também devem cumprir normas. De acordo com o artigo 254 do CTB, as pessoas devem atravessar a via na faixa, passarela, passagem aérea ou subterrânea.

É preciso recriar um padrão cultural de respeito às regras de trânsito e conscientizar os jovens. Além disso, há necessidade de tornar a fiscalização e a punição das infrações mais eficazes, para conseguir mudar a cultura de tolerância ao descumprimento das leis de trânsito.

Pedestres, cuidem de suas vidas. Uma forma de se fazer isso é respeitar as leis e ficar atento ao trânsito para evitar sustos e até mesmo acidentes.

Abraços e até a próxima publicação.

17 respostas para “Direitos e obrigações de um Pedestre”

  1. Aguinaldo L. Silva escreveu:

    Desculpe-me coleguinha, mas sou obrigado a descordar de você. Primeiro não temos no Brasil a educação que prescreve o CTB no seu Cap. VI em especial o Art. 76 tratando da educação na Pré-escola e nas escolas de 1º, 2º e 3º Graus e nem as escolas estão interessadas, com a autonomia que tem de inserir no seu PPP a disciplina como transversal. E como educadores que somos não podemos ter a ótica dos motoristas, ha muito tempo que o carro deixou de ser uma condução, sendo utilizado para demonstração de poder (com raras excessões). É conflitante com essa mesma Lei dizer que os pedestres terão que cuidar dos carros, até porque quem opera uma máquina deverá ter toda a habilidade para que esta não venha a causar danos a vida de ninguém. Os nossos motoristas de hoje não param para os pedestres e sim para outros carros, em um cruzamento de via por exemplo, eles só olham para um lado justamente de onde vem outros carros. Ao contrário de sua afirmação só não temos mais atropelamentos porque os pedestres (todos qdo. fora do carro), não se arriscam em atravessar no sinaleiro de pedestre mesmo este ainda estando aberto para os mesmos, na dúvida a maioria agora optaram por esperar fechar e abrir de novo. Falando como pedestre, temos sim medo de morrer, é como se não confiar que dentro de um carro existe um ser humano, habilitado e conhecedor dos seus direitos e dos meus. Quer saber mais, a maioria dos municipios brasileiros não tem sinalização de trânsito, não tem guardas nas ruas para ajudar os pedestres e quando tem faixas de pedestres essas são desrespeitadas, são sempre pintadas nos cruzamentos, agora imagine um pedestres sair procurando faixa para atravessar uma rua!!! afinal pra que faixa de pedestre onde tem sinaleiro, motoristas não olham para as placas e nem param nas faixas de pedestres e escolares, eles só param no sinal vermelho e se o trafego estiver intenso, caso contrário eles furam-no. Desculpe a contextação e para benizo também aqueles que são excessões eu também faço um grande esforça para não ser mais individualista no trânsito. Como professor e sociólogo não consigo entender tamanha violencia no trânsito, não sabemos nem como enfrentar essa guerra invissível e nem conseguimos mais contabilizar os mortos em todo o país, sociedade onde a maioria dirige sem entende as Leis de trânsito e não admitem suas irresponsabilidades, tornando o trânsito violento e sendo mal exemplo para os próprios filhos que serão os futuros motoristas. Homicídio no Trânsito não existe, tudo é uma mera fatalidade, ninguém fica preso para servir de exemplo e eu pergunto onde vamos parar?

  2. Ana Cristina Maier escreveu:

    Olá Aguinaldo.

    Concordo que a Lei ja prevê educação de trânsito no ensino fundamental e médio. Fico triste por saber que muitas delas não sabem como trabalhar o tema de forma transversal. Acredito que muitas das violência no trânsito poderiam ser minimizadas com uma boa base de Educação de Trânsito.

    Sua opinião é muito importante para nós.
    Continue participando dos nossos posts.
    Abraços.

  3. Blog Dirigindo Seguro escreveu:

    Acho que muitas vezes o atropelamento seja causado por culpa do pedestre. Se pedestres e condutores respeitassem as leis de trânsito, os acidentes de atropelamentos iam cair para 0%.

    Cézar,
    Blog Dirigindo Seguro

  4. Saulo de Sá escreveu:

    Bom dia a todos!

    As leis não são faceis de serem aprendidas, mal sabemos os nossos direitos e deveres como cidadãos, quanto mais aprender as leis do CTB!

    O Art. 24 do CTB diz que é da competência dos órgão e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:

    No parágrafo II -planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas.

    A educação desde o primórdio é o pilar principal para que se possa diminuir e extinguir os acidentes de trânsito, não adianta acharmos os culpados, temos que mudar o futuro desde já.

    O pedestre desconhece as leis pois não participou de auto escola como os condutores, por sua vez os Agentes de trânsitos Municipais na sua maioria não estão preparados ou simplismente não tem o suficiente para fiscalizar o trânsito.

    Existe um outro artigo do CTB que diz que o pedestre deve ser multado quando infrator, como seria feita esta multa?!!!

  5. ernesto escreveu:

    não devemos temer as interpretações equivocadas sobre o trânsito, o que devemos é interpretar as várias formas e pontos de vista que o trânsito nos concede

  6. NEYVA escreveu:

    FICO TÃO TRISTE A NÍVEL DE BRASIL FALA-SE TANTO DE EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO, TANTOS PAPÉIS JOGADO FORA. E VEJO QUE NA REALIDADE OS EDUCADORES NÃO ESTÃO PREPARADOS PARA FAZER A TRANVERSALIDADE E OS POLITICOS MUITO MENOS. ENTÃO CA UM QUE SE CUIDA PARA NÃO MORRER NO TRÂNSITO.

  7. Lúcia escreveu:

    Deveria ter uma lei, pedestre que causar atropelamento. (Sim a maioria causa andando na frente dos carros, sendo que ao lado possui uma calçada, entram na faixa de pedestre de uma vez … atravessam sinal vermelho etc….) tem por obrigação pagar o conserto do carro, parece absurdo mas não é. O motorista atropela um pedestre folgado, amassa o carro e ainda fica no prejuízo.É brincadeira. Também sou pedestre e ando em cima das calçadas, pois minha vida é mais importante do que mostrar que sou dona da pista. Bom, cada um tem uma opinião, a minha é essa. Quero só ver,Ex. pedestre foi atropelado, amassou o carro e teve que pagar o conserto do carro ex. R$ 1.500,00, quero ver se os pedestres não vão respeitar e saber onde andar. Isso vale para moto também. Alguém que entende de direito poderia dizer se o motorista poderia processar um pedestre que cause um acidente. Aguardo a resposta

  8. vanessa pereira do couto escreveu:

    booooooooo…….

  9. kisandra escreveu:

    odiei isso é horrivel para escreaverw mu txt ñ precisa gagar por 20 linhas tem de ser900000000000 inhasss

  10. an escreveu:

    eu achei muito em portante por que tem muitas coizas
    falando sobre arespei disso muito bom para fazer trabalhos de escola e aprende.

  11. zoraide escreveu:

    Gostaria de saber se pessoa com AVC com paralização de um braço e perna pode andar em via pública em cadeira elétrica.Aguardo resposta

  12. Maristela escreveu:

    Deixo aqui a minha indignação às pessoas que acham que apenas os motoristas devam respeitar os pedestres. Os motoristas devem dirigir na defensiva… os pedestres por sua vez, são obrigados a atravessar a rua na defensiva.

    Existe sim a regulamentação para os pedestres – para quem não sabe, leiam o CTB artigo 254.

  13. Soares escreveu:

    Tive um prejuizo de r$1.384,00 no meu carro porque simplesmente um pedestre no mundo da lua desceu da calçada trombando na lateral do meu carro quebrando retrovisor, danificando paralama, porta e etc., ele nao estava na rua para que eu tentasse parar, nao estava na faixa para que eu parasse, ele bateu na lateral do meu carro, ou seja nao foi o carro que o atropelou e sim o pedestre que atropelou meu carro, ele ficou com alguns arranhoes como penitencia de sua distraçao, e eu com meu carro 0km ate sem placa com esse prejuizo de imediato, mais a desvalorizaçao por um carro 0km já com retoque de pintura. A realidade é que tem motoristas irresponsaveis sim, mas mais de 90% dos atropelamentos seriam evitados se esses atropelados tivessem olhado a rua para atravessar, mas como sempre nao ha alertas para esse cuidado, so se fala que os motoristas sao culpados o que nao ajuda a concientizar os pedestres que é quem realmente esta correndo risco de vida. E gostaria de saber se a lei num caso desse me da o direito de ressarcimento, ate agora nao vi nenhum dos intelectuais falar sobre isso.

  14. VANESSA escreveu:

    NOSSA QUE SITE DAORA

  15. Eliete Santos escreveu:

    Srs

    Concordo com a lei também com relação em educarmos as pessoas no nosso trânsito, porém, vale lembrar que muitos estarão se aproveitando das situações para tirarem proveitos. Os veículos também deveriam ter uma lei para aqueles que desrespeitarem.

    Obrigada

  16. Eduarda escreveu:

    o q q adianta o pedestre fazer a parte dele se o resto não colabora??

  17. Jurandir Brito escreveu:

    Parabenizo o Sr. Aguinaldo L. Silva, concordo que não há respeito por parte da grande maioria dos motoristas que agem de forma irresponsável. TRATAM O AUTOMÓVEL(simples máquina) COMO UM SER HUMANO, e o ser humano como algo a ser destruído, agem como caçadores acuando os pedestres, parando sobre as calçadas e obrigando-os a andarem nas ruas para serem atropelados.

Deixe uma resposta