O que falta na preparação do futuro condutor?

A notícia de que 6 em cada 10 candidatos a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação são reprovados no exame prático de direção é algo realmente assustador. Clique aqui
O que será que está faltando no processo de preparação destes candidatos? Alguns pontos de vista podem ser levantados: falta de preparo dos instrutores, tempo muito curto dos cursos teóricos e práticos, critérios inadequados de avaliação nos testes teóricos e práticos, falta de educação de trânsito a longo prazo, entre outros.
Na notícia acima, um dos fatores enfatizados para que este número de reprovações esteja tão alto é a falta de preparo dos instrutores. Podemos dizer que os cursos que preparam os instrutores são, em sua maioria, muito curtos e existem até cursos à distância. Se fizéssemos uma avaliação criteriosa a respeito de regras de circulação, direção defensiva e legislação de trânsito com os instrutores em geral, poderíamos descobrir que muitos não têm informações e nem condições de atuarem como instrutores. Ouço muitas críticas a respeito da sua qualidade profissional, mas não podemos generalizar. Será que o instrutor é o único responsável por esta situação de reprovação?
Se o aluno está reprovando é porque não está aprendendo. Por que ele não está aprendendo? Neste caso há fatores relacionados ao instrutor, ao aluno, às condições de trabalho, ao tempo dos cursos, etc.
Será que o instrutor está sendo preparado adequadamente para ensinar uma pessoa a ser motorista? Ser motorista é muito mais do que saber “guiar o carro para passar nos testes”, mas implica em responsabilidades que vão além dos cuidados com a própria vida.
O instrutor foi preparado para lidar com as questões psicológicas do aprendiz, tais como comportamento impulsivo, medo de dirigir, insegurança, ansiedade, agressividade?
Como o instrutor é visto pela sociedade, como está a valorização desta profissão? O que se quer são bons profissionais, mas desde que custem pouco. Que contradição!
O profissional que ensina a dirigir deve ser muito bem preparado, pois instruir não é tarefa fácil, precisa ser levada com a maior seriedade e considerar o trânsito violento que o Brasil possui.
Por isso acredito ser fundamental cursos mais longos e de qualidade, defendo a reciclagem para instrutores, cursos de aperfeiçoamento em diversas áreas para que os mesmos não fiquem “parados no tempo”, que sua prática não caia na rotina, que os instrutores mais novos possam desenvolver-se profissionalmente adquirindo gradativamente mais conhecimento.
Este desafio poderia ser assumido pelos Detran’s pois são as instituições mais envolvidas com as questões do trânsito, desenvolvendo projetos de prevenção de acidentes e de educação de trânsito. A formação de qualidade dos instrutores e dos motoristas é uma questão de urgência e deve ser encarada com muito mais seriedade pelos órgãos legislativos e executivos de trânsito.

Aguardo seu comentário!

Até mais…

31 respostas para “O que falta na preparação do futuro condutor?”

  1. Fabiano escreveu:

    No meu ponto de vista o índice de reprovação esta baixo devido a despreparação por parte dos alunos em enfrentarem o transito, quem reprova numa prova prática é porque realmente não tem condiçoes de ter uma CNH, deverá este aluno se prepara mais para poder fazer a prova, a carga horária de aulas é pouca no meu ver, quem nunca pego um carro faz 15h/a e encara uma prova realmente são poucos que conseguem. Deveria de ter uma melhor preparação dos aulos, e como se faz isso? a “habilidade” vem com a prática, as cargas horárias estão muito defasadas no meu ponto de vista.

  2. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Fabiano

    Muitas pessoas não compreendem que as 15 horas/aula práticas determinadas no Código de Trânsito referem-se a um mínimo necessário ao aprendizado. Isto não quer dizer que seja o suficiente, pois a maioria das pessoas acabam fazendo bem mais do que 15 horas para se tornarem bons motoristas. A questão é que de nada adianta mais carga horária se a qualidade do ensino/aprendizagem não melhorar. É preciso ensinar mais do que “dicas”, mas a dirigir no trânsito “evitando riscos para si e para os outros”.

    Obrigada pela sua participação.

  3. rita escreveu:

    gostaria de deixar uma pequena reflesão, pois é muito pouca carga horaria sim pra quem não sabe dirigir , mais é necessario que o individuo procure mais aperfeiçoamento, é um indice grande de provação? não é não tem muita gente com cnh sem ter pratica nenhuma, sem conhecer as leis, sem saber agir corretamente frente a situações de perigo é necessario mais exigencias com essas pessoas no transito de hoje, se for mias rigoroso ai sim acabara com tanto acidentes………!!!!!

  4. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Rita

    Muitas pessoas querem tirar a CNH em pouco tempo, e todos nós sabemos que aprender a dirigir é coisa séria! Por isto é preciso exigir o melhor aprendizado possível dos candidatos à habilitação.

    Obrigada pela sua participação!

  5. cesar escreveu:

    Uma das grandes realidades atualmente, é que os proprietários dos CFC’s na sua grande maioria, estão simplesmente preocupados com a lucratividade e não com a qualidade de ensino prestadas pelos instrutores,contratam pessoas sem curso de capacitação(educação p/ trânsito) para exercer a função de instrutor. Atualmente existe um grande número de instrutores práticos, em nossos estados Brasileiros que vem recebendo apenas comissão por h/aula, sem direito a carteira assinada, 13º salário, férias, e ainda sem contar que não somos reconhecidos profissionalmente.Essa é uma dura realidade que atinge toda categoria, esperamos contar com a compreensão dos órgãos competente, e que se invista mais na qualidade de ensino desses profissionais, realizando cursos de reciclagem capacitação.

  6. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Cesar

    Ainda falta muita fiscalização por parte dos órgãos executivos de trânsito no sentido de verificar e punir este tipo de situação que você relatou acima. Paralelamente a isto, o consumidor também precisa tomar consciência da importância de um bom aprendizado e exigir isto nos serviços que adquire das auto-escolas.
    Seriam tantas as questões a serem levantadas sobre o assunto, mas ainda aposto na valorização do profissional por parte da auto-escola, dos Detran’s e da comunidade em geral.

    Parabéns pela participação!

  7. sueli escreveu:

    ola a todos

    Tambem acho que deve se fazer uma reciclagem nos instrutores mais antigos,pois a realidade do transito muda a cada dia e nem todos acompanha essa mudança.Sempre tem aquele que nao trabalha para um bem maior, (que e a vida)so visa o lucro,entao colocar qualquer um para dar aulas de transito e comum encontrar,entao cabe a nos cidadoes,(que acredito ser, a maioria pais)fiscalizar essa pratica,pois nao e so a vida de outros que esta em jogo e a nossa tambem.Nao podemos esperar por outros,(mesmo que eles tenham essa responsabiidade)acredito que no meio desse caos todo, ainda a gente que respeita a vida ,sendo assim nosso aliado nessa luta para fazer do transito um lugar seguro para todos.Procurem sempre uma auto-escola de confiança e que tenham um nome a zelar,nao de ouvidos para o jeito facil de conseguir as coisas, o jeito mais facil, e aquele que vai fazer a gente chorar depois.Gente muito boa e com vontade,nao so de formar condutores,mais tambem de educar,tem em muitos lugares e so se informar do jeito certo.
    Obrigada ,bjssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

  8. Êrica Nickel escreveu:

    é isso aí Sueli!

    Temos que procurar aquelas auto-escolas que realmente fazem um trabalho sério, e há muitas por aí. Muitas vezes o “barato sai caro” então temos que tomar o maior cuidado com as “grandes promoções” de cursos de habilitação.
    A mudança de atitude já começa no momento da escolha de uma auto-escola idônea. é bom sempre ter referências, pesquisar no
    Detran para ver se a auto-escola escolhida não está suspensa por algum motivo.

    Obrigada pela participação.

  9. pedro cézar ricciardi escreveu:

    Boa Tarde a todos os interlecutores dessa matéria!

    Como é importante ler as opiniões do leitor sobre este tema explicitado e questionado “O que falta na preparação do futuro condutor?”
    Podemos observar que a maior parcela de referendos aqui grafados foram abordados na insuficiência de carga horária, pouco tempo de preparação, e qualificação de instrutores de CFCs; invisto nesta situação pois concordante sou, já que acredito serem leigos no assunto as pessoas que aqui deixaram refistrados seus comentários com muita propriedade, não estou de maneira alguma querendo desmerecer suas opiniões; contudo, como sou um profissional na área, também faço aqui meus adendos:
    Primeiro, com certeza o pouco tempo, disponibilizado ao candidato a pleitear sua primeira habilitação é muito pouco; a carga horária da grade programática exigida pelo Contran, também é pouca, isso se fizermos uma analogia com a formação de tantos outros interesses para capacitar pessoas; já em relação aos instrutores, estes devem assumir de vez por toda o papel de educadores, firmarem-se em maior capacitação acadêmica, psicologia/pedagogia (grifo meu); os examinadores dos Detrans, devem possuir o mesmo mister. Sabem por que, estamos construindo pessoas para serem responsáveis no trânsito, formando cidadãos para utilizarem do espaço público com civilidade e respeito aos seres humanos, aos animais e ao meio ambiente, que seus deslocamentos sobre qualquer meio de transporte terrestre seja sempre em busca da preservação do maior patrimônio que todos nós temos que é a VIDA. Sim tem que mudar comportamentos, atitudes e ações, sdesta maneira é que poderemos minimizar a perda de vidas preciosas no trânsito brasileiro. O tema trânsito tem que ser imperativo e continuo nas suas aplicações, visando a educação, a sinalização, orientação e fiscalização, garantindo todos os princípios constitucionais de uma nação. Obrigado!
    (Em breve meu livro – de Instrutor para Educador – Vivências e Sentimentos) Obrigado

    Pedro Cézar Ricciardi
    Bal. Economia – Pós-Graduado em Psicopedagogia Institucional – Especialista em Disciplinas Técnicas – Pós´Graduado em Fundamentos da Educação – IV Prêmio Denatran de Segurança no Trânsito (1º lugar)2004.
    Diretor de Ensino de CFC

  10. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Pedro

    A formação dos instrutores é realmente é um dos aspectos fundamentais para a boa qualidade no ensino e concordo contigo quanto à questão deste profissional assumir-se educador de trânsito, responsabilizando-se por seu importante papel social que é formar pessoas para o trânsito, com toda a amplitude que esta palavra tem.

    Continue contribuindo com sua opinião!

  11. pedro cézar ricciardi escreveu:

    MINHA CARA ÉRICA NICKEL!

    Boa tarde!

    Primeiro cabe nos aqui registrar a importância desta página aberta a todos os cidadãos, para que possam de sobre maneira expressar suas opiniões do Trânsito Brasileiro, buscando assim impingir melhorias para a segurança no trânsito. O clamor de todas as indagações voltam-se para busca de respostas de autoridades vinvuladas ao trânsito; mas é preciso que nós como cidadãos comuns, também participemos ativamente das coisas públicas, e que os resultados sejam benéficos para todos. Quando desperta “ensaios sobre instrutores mal preparados”, havemos de convir que esta amostragem, não reflete a totalidade, pois temos excelentes profissionais, sem contudo deixar de questionar aqueles que realmente não tem compromisso com a construção de conhecimento pertinentes ao trânsito. Sim, o instrutor tem que assumir seu papel, o de Educador, por que a atribuição legal que foi dada aos CFC´s não é de Centro de Treinamento de Condutores; mas sim de Centro de Formação de Condutores, por tanto os profissionais que estão Educadores já tem este novo olhar nas suas funções. Obrigado ÉRICA.

    Prof, Pedro Cézar Ricciardi

  12. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Pedro

    Voc lembrou muito bem a respeito da responsabilidade dada aos CFC’s pela legislação de trânsito à formação dos condutores. Apesar dos problemas que conhecemos, devemos defender e valorizar cada vez mais sua função de instituição educadora de trânsito. Foi um avanço no CTB exigir uma carga horária mínima para a aprendizagem dos candidatos A CNH e formação específica para instrutores. Cabe a nós cidadãos lutarmos para que estas determinações sejam cumpridas. Quem busca cursos muito baratos e pouca carga horária para as aulas práticas, está esquecendo que a má formação pode gerar graves consequências para si mesmo e aos outros.
    Continue participando!

  13. Ana Paula escreveu:

    Bom, estou lendo essa notícia porque acabei de sair de uma reprova!
    A 2ª tentativa!
    Nossa, é horrível a sensação de ser reprovada, ainda mais duas vezes!
    Acontece que fiquei super nervosa nas duas e vezes, na 2ª mais ainda!
    Os instrutores hoje me dia te passam só o ‘necessário para passar no exame’! Se o teu examinador pedir pra fazer qualquer coisa diferente, pronto… bate o panico! Pelo menos na auto escola que estou não vejo instrutores capacitados para dar o treinamento psicológico, a segurança que precisamos para enfrentar o trânsito!
    Isto ao meu ver é uma das maiores causas… já que sem preparamento psicológico, o aluno fica nervoso no exame, reprova e consequentemente não estará apto a dirigir por aí…

  14. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Ana Paula

    É isso que está faltando na preparação do futuro condutor: aprender a dirigir e não somente a passar no teste. O preparo do instrutor para lidar com os aspectos psicológicos do candidato também poderia ser revisto. Mas quanto ao nervosismo, existe toda uma tensão criada em torno do teste. Alguns examinadores muitas vezes deixam o candidato mais nervoso ainda. Também tem pessoas que não conseguem controlar o nervosismo mesmo com a ajuda do instrutor. São vários os fatores. Mas tente fazer uma análise do que te deixou nervosa e reflita se você está realmente preparada para enfrentar o trânsito, talvez tenha que praticar um pouco mais até adquirir mais segurança, principalmente frente às tensões.

    Continue participando.

  15. escreveu:

    pois é.. dirigir não é brincar de carrinho é muito mas que isso!!! quantos alunos vem na expectativa de fazer suas 15 aulas e adquirir sua ch, na teoria isso é muito prático, o aluno ele nao só tem q ter conhecimento que dirigir n é apenas levar seu veiculo de um lado para outro ,, mas sim entender que a partir do momento que ele coloca essa maquina em movimento ele é responsavel pelas pessoas que estao com ele e tudo em sua volta….bom nas minhas aulas sempre a concientização é o meu dever.. e formar condutor conciente que dirigir na defensiva é a melhor extrategia pra voltar pra casa vivo e sem tirar vidas.. tenho conciencia que com 15 aulas eu apenas passo ao aluno o basico.. e o resto vai vir com as suas experiencias no dia a dia.. entretando saber passar por essas experiencias aprendendo muito mas…..prego sempre o respeito a vida.. uma maquina n te faz imortal. ela n mata vce provoca a sua morte pq é vce quem a direciona… beijao

  16. Êrica Nickel escreveu:

    Olá Fá

    Que bom que você é mais uma do time de instrutores que leva à sério sua profissão, pois o instrutor tem uma responsabilidade social muito grande!

    Continue participando.

  17. Adriana Angelo escreveu:

    Muito interessante os comentarios… pude perceber que não sou só eu que fico muito ansiosa quanto à prova, fui reprovada 1 vez na pratica e vou refazer no proximo dia 5, ja estou sem dormir direito…na ultima vez tive a falta de sorte de pagar uns examinadores casca grossa!!!!!!!! A mulher ficava gritando comigo fiquei louca, acabei errando … fiquei chateadA!!!! O meu instrutor disse que era pra testar o meu psicologico… mas pra isso, não tem o psicotecnico!!!!!!!!!!!!

  18. RAQUEL escreveu:

    BOA TADE!
    Dirigir na situação que se encontra o trânsito hoje em dia ´´e realmente muito dificil para quem acabou de pegar sua CNH.
    As auto escola não te ensina a dirigir,mas sim a guiar o seu carro, porque é isso que elas fazem te levar de um lado para o outro.
    Você fica tão acostumado com o percurso, que ja faz de olhos fechados,mas é só vc ir para um lugar diferente que vc já se perde todo.
    Não faz muito tempo que eu peguei minha CNH, e estou a procura de um outro lugar que me ensine a dirigir realmente . Fico insegura,acho que não aprendi tudo o qeu deveria.

  19. girlene escreveu:

    Olá! achei muito interessante esse texto,pois fiz quinze aulas praticas com um intrutor que pelas atitudes dele não queria que eu passace,pexximo como profissional.Em nenhum momento ele me ajudou,apenas a entrar no carro e me deu a direção.vou fazer mais cinco aulas com uma mulher e depois a prova espero que passe ,mas ainda assim não tenho coragem de dirigir????????!!!!!!!!obrigada

  20. weverson silva escreveu:

    Para conseguir passar na quarta tentativa, e… consegui passar com zero ponto de erro, tive que mudar de alto escola. O meu instrutor de aulas práticas era simplesmente horrivel, não estou generalizando, mas o que achava estar me ensinando era o pior possivel, colocavam 3 ou 4 alunos dentro do carro e em uma hora e meia dava aula prática pata todos. Só percebi isso quando mudei de auto escola pois os ensinamentos eram diferentes, comecei a aprender o que durante um ano não me ensinaram e isso me provou que tem que haver uma reciclagem nos instrutores atuais, principalmente os mais antigos.

  21. Bia escreveu:

    Estou meio ansiosa e frustrada, aprendi a ligar o carro a um mes e ja consigo andar na 3ª. Mas ainda me atrapalho muito em passar e por vezes ainda queimo o carro.
    Nossa demora tanto assim pra se aprender?! Eu só pego o carro aos domingos e….. detalhe: quem me ensina grita e mexinga quando erro acabo ficando muuuito nervosa e com auto estima péssima.

  22. Etiene escreveu:

    Olá, hoje completei minha décima aula prática das 20 exigidas pelo detran. Até hoje eu até que estava indo bem, apesar do nervosismo e acabar me enrolando com as marchas, como disse a amiga no post anterior. Mas hoje após o exercício de baliza, acabei perdendo o controle do carro e bati na própria baliza arranhando e amassando um pouquinho a porta do carro. Nessa hora o instrutor não estava no carro, ele havia saído pra bater papo com outros colegas tb instrutores que esperavam seus alunos tb concluírem o exercício. Neste momento eu entrei em pânico, mas tentei não demosntrar muito. E achei que o instrutor tb foi um pouco grosseiro comigo, chegando a chingar palavrôes. Agora a auto escola tá querendo me exigir o conserto do carro, eles vão levar o carro em um mecânico da própria autoescola pra fazer o orçamento e eu terei que arcar com as despesas. Eu gostaria que alguém me informasse se isso é legal, e no caso de ser legal, o fato de o instrutor estar na calçada, de costas pra mim, não me inocentaria da tal dívida??? O pior é que ainda tenho mais 10 aulas pela frente…

  23. léo escreveu:

    Ola! Sou profissional no ramo a quase 15 anos, e posso dizer que já assisti a algumas cenas um tanto quanto complicadas, como nervosismo excessivo no exame prático, repetidas reprovações, amnésias durante o processo de aprendizado, e até total falta de respeito com o profissional que está ali sim para conscientizar de todos os aspectos nocivos de um mau condutor, porém muitas vezes esbarra na completa falta de interesse dos próprios alunos que comentam coisas do tipo:”Ah isso aí ninguém faz!”,ou “depois de tirar minha carteira eu aprendo no meu carro”,com o pretexto de que aulas extras são muitos caras(que realmente são),e acabam até por desistimular o instrutor que ali teria muito a ensiná-lo.Claro devo aqui salientar que pessoas são diferentes conforme vários fatores de educação, mas a verdade é de que a grande maioria pensa dessa forma até para não passar vergonha diante de outras pessoas ouvindo coisas do tipo “ainda tá na autoescola??”ou “ainda não vai fazer o exame??”..o que as pessoas devem saber de verdade e que cada um tem seu tempo para aprender alguns mais outros menos e o que se deve realmente fazer é PRATICAR até sentir-se SEGURO (com o aval de seu instrutor também!) de que aprendeu a conduzir.e lembre-se dirigir não é como aprender a ler, todos os dias terá que ter os mesmos cuidados com fatores externos, ser responsável pela boa conservação do seu veículo e ser basicamente uma pessoa comprometida com o bem estar de todos, inclusive o seu. Ah! o candidato não é prisioneiro de sua autoescola não estando satisfeito com os serviços troque-a!!A medida do sucesso é bastante simples basta acatá-la!!PRATIQUE, BOA SORTE E UM ABRAÇO, LÉO

  24. léo escreveu:

    Ola! Sou profissional no ramo a quase 15 anos, e posso dizer que já assisti a algumas cenas um tanto quanto complicadas, como nervosismo excessivo no exame prático, repetidas reprovações, amnésias durante o processo de aprendizado, e até total falta de respeito com o profissional que está ali sim para conscientizar de todos os aspectos nocivos de um mau condutor, porém muitas vezes esbarra na completa falta de interesse dos próprios alunos que comentam coisas do tipo:”Ah isso aí ninguém faz!”,ou “depois de tirar minha carteira eu aprendo no meu carro”,com o pretexto de que aulas extras são muitos caras(que realmente são),e acabam até por desistimular o instrutor que ali teria muito a ensiná-lo.Claro devo aqui salientar que pessoas são diferentes conforme vários fatores de educação, mas a verdade é de que a grande maioria pensa dessa forma até para não passar vergonha diante de outras pessoas ouvindo coisas do tipo “ainda tá na autoescola??”ou “ainda não vai fazer o exame??”..o que as pessoas devem saber de verdade e que cada um tem seu tempo para aprender alguns mais outros menos e o que se deve realmente fazer é PRATICAR até sentir-se SEGURO (com o aval de seu instrutor também!) de que aprendeu a conduzir.e lembre-se dirigir não é como aprender a ler, todos os dias terá que ter os mesmos cuidados com fatores externos, ser responsável pela boa conservação do seu veículo e ser basicamente uma pessoa comprometida com o bem estar de todos, inclusive o seu. Ah! o candidato não é prisioneiro de sua autoescola não estando satisfeito com os serviços troque-a!!A medida do sucesso é bastante simples basta acatá-la!!PRATIQUE, BOA SORTE E UM ABRAÇO, LÉO – INSTRUTOR DE TRÃNSITO

  25. léo escreveu:

    Ola! Sou profissional no ramo a quase 15 anos, e posso dizer que já assisti a algumas cenas um tanto quanto complicadas, como nervosismo excessivo no exame prático, repetidas reprovações, amnésias durante o processo de aprendizado, e até total falta de respeito com o profissional que está ali sim para conscientizar de todos os aspectos nocivos de um mau condutor, porém muitas vezes esbarra na completa falta de interesse dos próprios alunos que comentam coisas do tipo:”Ah isso aí ninguém faz!”,ou “depois de tirar minha carteira eu aprendo no meu carro”,com o pretexto de que aulas extras são muitos caras(que realmente são),e acabam até por desistimular o instrutor que ali teria muito a ensiná-lo.Claro devo aqui salientar que pessoas são diferentes conforme vários fatores de educação, mas a verdade é de que a grande maioria pensa dessa forma até para não passar vergonha diante de outras pessoas ouvindo coisas do tipo “ainda tá na autoescola??”ou “ainda não vai fazer o exame??”..o que as pessoas devem saber de verdade e que cada um tem seu tempo para aprender alguns mais outros menos e o que se deve realmente fazer é PRATICAR até sentir-se SEGURO (com o aval de seu instrutor também!) de que aprendeu a conduzir.e lembre-se dirigir não é como aprender a ler, todos os dias terá que ter os mesmos cuidados com fatores externos, ser responsável pela boa conservação do seu veículo e ser basicamente uma pessoa comprometida com o bem estar de todos, inclusive o seu. Ah! o candidato não é prisioneiro de sua autoescola não estando satisfeito com os serviços troque-a!!A medida do sucesso é bastante simples basta acatá-la!!PRATIQUE, BOA SORTE E UM ABRAÇO, LÉO – INSTRUTOR DE TRÂNSITO

  26. Marcos Daniel escreveu:

    Com quanto tempo de habilitação , é possível exercera profissão de instrutor e Auto-Escola ?

  27. eliana escreveu:

    caros amigos,na minha opiniao o maior problema de reprovaçoes esta no fator nervosismo;eu sou adepta de uma nova maneira de avaliar um futuro motorista:ninguem melhor do que o instrutor que no dia-dia conhece o candidato,suas perfomances nas aulas e seus avanços durante as aulas.Nao sao todos da categoria que sao despreparados , fica dificil vc saber que e capaz,confiar no instrutor,sincronizar com ele[a] e no dia da prova vem um estranho,muitas vezes mal humorado,ate sem educaçao pra nos avaliar.E duro saber que tudo o que vc conquistou nas aulas vai por agua abaixo por um erro bobo nesse dia,Reprovei 2 vz sendo que estou muito bem no volante e isso me doi muito.Que tal nova maneira?

  28. Agrinepraiple escreveu:

    ]ADT security

  29. KnireeRer escreveu:

    ]Riverside Bio Clean

  30. laerte santana da silva escreveu:

    Olá! Meu nome é Laerte, sou instrutor de trânsito há mais de 15 anos e gostaria de dar também a minha opinião a respeito do índice de aprovação. Na verdade o índice de aprovação depende de todos que fazem parte do sistema. ( Detrans, CFCs,Governo do Estado, Poder Executivo de cada Município, Candidatos à Habilitação e o principal fator de todos os Instrutores. Na minha opinião para melhorar o sistema deveria acontecer o seguinte:
    1-Os 5% das multas arrecadadas realmente deveriam ser revertidas em campanhas educativas como diz a lei, e não fazer somente a campanha educativa apenas na Semana Nacional de Trânsito somente uma vez por ano. Isto é Lamentável!!
    2-Os Detrans deveriam se preocupar mais em fazer fiscalizações nos CFCs. Existem CFCs sérios fazendo trabalhos realmente profissionais. Por um outro lado existem profissionais péssimos que apenas querem dar macetes para o canditado passar no exame pratico.
    3-Não quero aqui rebaixar a minha classe, mas existem Instrutores de CFCs que não são preparados para exercer a função possuindo hábitos negativos como: Fumar dando Aula, muitas vezes larga o aluno no carro sozinho fazendo a baliza para satisfazer o vício, param em bares durante o serviço para tomar o seu aperitivo, falam no celular durante a aula com assuntos particulares, só dão macetes, enrolam nas aulas fazendo apenas o candidato passear com o veículo, um péssimo gosto em se trajar.
    Para Finalizar só gostaria que vcs me mandasse a resposta de apenas uma pergunta: Já que o indice de acidentes no Brasil e tantos, por que as montadoras de veículos continuam fabricando veículos com motores bem arrojados sendo que o limite de velocidade aqui no Brasil é completamente diferente do velocímetros dos veículos que rodam aqui no Brasil. Afinal de quem é a culpa? Não seria estimular o motorista a correr bem mais do que o normal? Um Abraço! E muito obrigado!

  31. michelle escreveu:

    Reprovei no circuito da categoria A, por não controlei o nervosismo, fiz coisas que não sei porque, um monte de trapalhada antes da prova, já na auto escola nas ultimas aulas estava fazendo tudo certinho ,e quando foi pra valer não deu outra reprovei.
    Preciso de ajuda se alguem tiver dIcas manda ai.
    Socorro!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta